Sexta-feira, 04 de Maio de 2007
Há coisas que não consigo compreender. E o sentimento de posse que os pais têm em relação aos filhos é uma delas. Eu sou mãe e não encaro as coisas assim. Não vejo os meus filhos como meus pertences. São obviamente meus, no sentido em que saíram de mim. Mas, não os encaro como minha propriedade. E aceito que tenham as suas vidas de modo autónomo (bem, se calhar digo isto porque ainda são pequenos -4 e 10 anos- mas acho que não).

Eu vejo, e sinto, bem esse sentimento em relação a mim (e ao meu marido também, por parte dos pais dele). E penso que se calhar é de ser filha única (o meu marido também é).

Adoro os meus pais, mas, eles acham, e sempre acharam, que porque sou filha deles e porque me ajudam, que tenho que estar 24 horas disponível para eles. Que posso prescindir da minha vida para resolver os problemas deles, pois estes são sempre prioritários. E quando tento explicar que não é possível, que tenho outras coisas para fazer, nomeadamente trabalhar, resolver problemas dos meus filhos (eles ainda não conseguem resolver os deles sozinhos), alimentar-me, ou pura e simplesmente dormir (já não falo em estar um pouco de tempo com o meu marido, ou sair com os meus amigos), sou imediatamente uma má filha, uma filha mal agradecida e mais um sem número de coisas do género (os meus sogros fazem exactamente os mesmo).

Sinceramente, fazem-me lembrar em muito o meu filho de 4 anos, que quando é contrariado, me diz imediatamente , "a mãe, é má".

Será de ser filha única, ou os pais todos assim?

Já começo a ficar farta de tudo isto. Eu só tive dois filhos, não seis.



sinto-me: Furiosa
música: iris - goo goo dolls

publicado por sopro-do-coracao às 13:39
Desabafos de uma mulher de 30 e tal anos que agora já está nos entas
mais sobre mim
Setembro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
23
24

25
28
29
30


posts recentes
pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO